ÚLTIMO BIMESTRE… O QUE FAZER?

ÚLTIMO BIMESTRE… O QUE FAZER?

image

Estamos, enfim, no último bimestre. Muitos professores dando graças a Deus, outros nem tanto. Alunos do Ensino Médio fazendo contagem regressiva para virarem uma etapa da vida e outros para chegarem a esta etapa. Mas como o professor deve agir no último bimestre?

Em um dos meus artigos anteriores, falei sobre o que o professor precisa fazer no terceiro bimestre, quem seguiu, terá mais facilidade em colocar em prática essas ações que mostro agora. Lembrando que as ações que desenvolvo neste artigo, são de maneiras práticas para ajudar ao educando a prosseguir na série sequencial e “moralizar” a nossa conduta.

Para quem tem Ensino Fundamental I e os alunos irão para o Fundamental II, esqueçam conteúdos estipulados para este bimestre e faça uma grande revisão dos conteúdos que não foram tão assimilados e reprisem os que foram bem assimilados. Levem exercícios diferenciados, o conteúdo deste bimestre é o de menos, o que é essencial é mandar o aluno para a nova etapa, fundamental II, sabendo claramente as operações matemáticas e a compreensão textual. Caso, seus alunos não consigam, já tenham em mente que não foi um ano de avanços. Ano que vem é hora de mudar a metodologia.

É o momento de verificar os alunos que tiveram mais dificuldades nos conteúdos fundamentais para prosseguirem no ano/série seguintes. Levar atividades que mantenham os alunos que compreenderam fazendo e os que não aprenderam, descobrindo.

No Fundamental II, o professor precisa verificar se a escola contará com reprovações, caso não, e aquele aluno que brincou com você o tempo inteiro e ainda riu muito de suas ações, não o deixe achar que passou porque o sistema quis, deixando visível a ele que você e sua disciplina não foram suficientes para impedi-lo de prosseguir, assim, se estiver na escola no ano seguinte e o encontrar, saiba que terá um grande problema de descaso para consigo. Para evitar esta “desmoralização”, chame-o junto à coordenação e faça um grande sermão, dizendo que se não correr atrás do prejuízo, ficará na mesma série. Após, passe trabalhos com conteúdos que ele não assimilou durante o ano. Ajude-o quando necessário e mostre que você está preocupado com esta situação, a qual ele mesmo se colocou. No fim, ele correrá contra o tempo, vai assimilar alguma coisa e você não será desmoralizado por passar um educando sem ele ter feito nada para este mérito.

No Ensino Médio, pode ser feito a reprovação em qualquer uma das séries, mas você terá de ter toda aquela documentação que já falei em artigos anteriores, assim comprovará que realmente o aluno não evolui e não conseguirá acompanhar o que vem pela frente. Mas, se a escola optou por não reprovação, é hora de fazer a mesma coisa que falei no Fundamental II com o aluno que se desinteressou o ano inteiro. É hora de recapitular conteúdos importantes e tentar dar o máximo de ferramentas para eles, antes de irem para o ano seguinte.

Com alunos do terceiro ano do ensino Médio, sempre faço acordos no começo do ano e a cada bimestre novo, revejo as normas. Como sabemos que o último bimestre para alunos que estão saindo da escola é praticamente “perdido”, pois estão ansiosos para vestibulares, mudanças de vida e ainda formatura, pois é um momento importante para o crescimento da alma, deixo-os sem avaliações no último bimestre para aqueles que atingiram nota igual ou superior a 6 no primeiro bimestre, 7 no segundo e 8 no terceiro. Estes alunos já estarão com notas no quarto bimestre sem efetuar avaliações aplicadas por mim, mas deverão continuar participando das aulas e frequentando-as de maneira de aprendizagem, caso contrário, o benefício é revogado. Dá certo!

Este bimestre, como eu disse, não se preocupe com o conteúdo em si estipulado para este momento do ano, preocupe-se em deixar firmes os conteúdos essenciais que os ajudarão a caminhar no ano seguinte. Aproveite para estar mais “perto” do aluno. Tente conhecê-lo mais profundamente e mostre que você está ali para ajuda-lo e não para puni-lo.

O quarto bimestre não se faz pensando no agora, mas pensando no “amanhã”, visando no que o aluno precisa para continuar o ano que vem sem muitas dificuldades e conflitos de habilidades e competências, assim ele melhorará progressivamente. É assim que rege o sistema. É assim que devemos reger. Se todos os professores fizerem isso, ano que vem os atuais terão mais tempo para trabalhar os conteúdos, pois os alunos conseguirão adquirir com mais facilidade as habilidades que precisam para chegarem às competências necessárias para o seu desenvolvimento. Além disso, mais alunos serão retirados do abaixo do básico, porque foi trabalhado com este intuito, ajudá-lo a crescer no âmbito de conhecimento.

 

Gostou do Artigo? Que tal curtir a minha página e ter acesso a outros artigos? Clique aqui para curtir.

Quer debater sobre Educação com quem ama a área? Então participe do grupo de consultoria. Clique aqui para participar.

Anúncios

Juntos por uma Educação de qualidade e uma boa Literatura

%d blogueiros gostam disto: