PARA QUE SERVE O CONSELHO DE CLASSE?

PARA QUE SERVE O CONSELHO DE CLASSE?

CONSELHO DE CLASSE: BOM SENSO, CONHECIMENTO, RESPEITO E UNIÃO ENTRE OS DOCENTES

_____________________________________________

Publicidade:

ADOTE O LIVRO RAPUNZEL EM SUA ESCOLA! Acesse e saiba mais! Clique aqui

_____________________________________________

Para o professor, uma parte de seu ofício que ele não gosta é o Conselho de Classe, pois ainda se tem a ideia de que o conselho não servirá para nada, tendo em vista os sistemas de ciclos instituídos por vários municípios e estados, dando a entender que o aluno será aprovado. Nesta hora, muitos professores se perguntam: Por que eu me “mato” tanto durante o ano para chegar aqui e ter de mudar minha nota e não reprovar este aluno?  Um conselho de classe sem visão provocará discussões acirradas e eventuais conflitos entre profissionais que estão ali para o mesmo objetivo: progredir o aluno.

Já trabalhei em diversas escolas entre públicas e privadas e o conselho sempre foi uma peça chave para dividir equipes e distorcer imagens de professores. O fato é que precisamos seguir as normas estabelecidas pelas leis gerais, depois pelas leis específicas que são da escola e do professor.

Em vários conselhos, vi professores alterando notas com os olhos fumegantes de raiva e ódio por determinados colegas que não “respeitaram” seus pontos de vista e o mesmo começará a achar que existe um “complô” contra ele ou que os colegas pensam que ele não sabe avaliar. Verdadeiramente falando, isso pode ocorrer, mas para não chegar nesta situação, o educador precisa fazer várias reflexões antes de argumentar sobre a nota.

Ao caminhar de minha carreira, juntei leis e procedimentos que fiz nestes momentos e percebi que dão certo, mas é necessário muito bom sendo e reflexão para se colocar em prática. Lembrando que o Educador precisa ter comprovação sobre sua linha de avaliação e ser preciso na hora de argumentar.

Durante o bimestre o professor tem vários projetos, conteúdos e avaliações para a realização. Com tudo isso, se perde anotações essenciais para serem usadas em conselhos de classes, além de visões fragmentadas para a hora de argumentar.

Antes de iniciarmos os procedimentos, quero deixar claro que mesmo com o sistema de ciclos, o professor poderá reprovar o aluno, desde que tenha todos os procedimentos efetuados para aquele aluno que não desenvolveu. Caso contrário, não se estresse e passe este aluno.

Para sua nota não ser alterada nos conselhos parciais durante o ano e no conselho final, tenha em mãos tudo o que o aluno fez, lembre-se que ele precisa fazer caso contrário, não tem como o aluno ser avaliado e você não terá como reprová-lo.

O aluno que não desenvolve não será reprovado pelo simples fato de caçoar da sua cara, de não fazer o que você pede e falar mais que uma matraca. O aluno que não desenvolve será reprovado por não trazer o livro didático, por não realizar as tarefas e por não atingir a nota básica de avaliação. E como você vai provar isso? Simples. No início do ano mostre que você é organizado e que está preocupado com o avanço dele. Deixe claro que todo material disponibilizado pela rede será usado e terá uma importância no seu desenvolvimento. Coloque normas suas se adequando com as normas da escola e das leis vigentes. Dê um prazo para o aluno se adaptar e comece a cobrar. Lembrando que o aluno só começará a seguir as normas se o material for usado de maneira que faça entender o conteúdo. Se ele sentir que aquilo não serve para nada, não trará mais às aulas. E seus esforços ficarão em vão.

Após isso, toda vez que o aluno esquecer o livro didático, por exemplo, antes de fazer anotações, chegue a ele e mais uma vez diga que é importante para o acompanhamento do conteúdo. Tendo em vista que lá tem textos e exercícios que contribuirão para a sua intelectualidade. Desta forma, seguindo as normas, você fará anotações na caderneta, em um campo que existe no fim dela, chamada de Observações, ao anotar, seja argumentativo. Diga que orientou o aluno no começo do ano e mais uma vez neste dia, diga a importância do livro didático e no que ele contribui. Ao fim, peça para dois alunos assinarem como testemunhas das suas ações. Assim conseguirá comprovar.

Seguindo esta linha, vamos supor que o aluno continuou não trazendo o material, não realizou as tarefas, esta também precisa ser anotada. Vá anotando tudo atrás da caderneta e com testemunhas, ao final o aluno terá uma nota inferior ao básico. Pois se não traz o livro, se não faz tarefa, suas avaliações serão a comprovação do não desenvolvimento dele, não as entregues, fique com elas até o final do ano. Quando chegar ao concelho de classe parcial do 1º bimestre mostre aos professores tudo que foi realizado, assim nenhum conseguirá trocar a sua nota, porque houve um acompanhamento preciso sobre o aluno.

No segundo bimestre, o aluno continuou no mesmo ritmo, espere a avaliação mensal e se o aluno não desenvolveu, peça para a mediação ou coordenação chamar os responsáveis pelo aluno. Ao conversar, peça para o aluno estar presente. Mostre as avaliações e as anotações, diga que está preocupado e tente entender o que está acontecendo com este aluno. Ao fazer isso, faça um registro de visita e escreva tudo o que foi dito, desde você, coordenador, responsável e aluno. Faça assinar todas as avaliações que não conseguiu a nota básica e guarde-as com você, professor.

———————-continua após a publicidade

Tenha acesso a este e outros artigos do professor. Além de apostilas e dicas para quem é coordenador ou professor.

Clique aqui Saiba mais

————————-/-/————–/–/———————

Mais uma vez no conselho, mostre tudo o que foi feito, se a equipe escolar entender que a nota deveria ser alterada. Com estes registros o conselho não tem como alterar, pois todos seguem os mesmos modos de avaliações e observações. Caso o conselho ou a direção insista na alteração, faça um comunicado e protocole na diretoria de ensino e quiçá na própria promotoria juvenil. Claro que isso não acontecerá, pois todos sabem que o professor está fazendo o que pode para alavancar o aluno. E todos estão nesse mesmo caminho.

Ao final do ano, muitas escolas não querem reprovar por várias medidas que os administradores públicos fazem para que isso não acorra. Mas se você fez todo este caminho, não terá como ser mudado. Primeiro: os registros parciais foram mantidos e registrados. Segundo: que você está abastecido o suficiente para que se o aluno entrar com recurso seja barrado por várias anotações coerentes durante o ano.

Mas como eu disse, precisa de muita reflexão. Não adianta dar avaliações orais que não trazem registros que comprovem a nota do aluno, porque assim você não ficará respaldada, quando for preciso apresentar seu trabalho com ele.

Outra situação constrangedora que tenho visto em diversos conselhos é o fato de o aluno ter uma nota inferior ao esperado. Os professores dizem assim: “o quê? A aluna é boa e você deu 6? Muda isso!” – o fato de aluna ser boa ou ruim não fica claro se desenvolveu ou não. Pois se ficarmos dizendo isso não precisa de avaliação. Concordam? Como eu sei que ela é boa, darei a nota a ela?

A ideia da avaliação é acompanhar o que o aluno se desenvolveu naquele conteúdo. Se o aluno for bom em matemática e ele não se saiu bem na avaliação da mesma, vale a pena conversar em particular ou passar mais exercícios para ele, identificando os seus erros para na próxima ser melhor. Se ele não atingiu a competência requerida naquele bimestre, por que dará nota? Quando chegar ao conselho, e for indagado o motivo da nota “baixa”, tenham em mãos todas as avaliações e competências que precisariam ser atingidas por ele. Diga o que foi feito para reverter isso. Assim não terá ninguém para contestar.

Eu já votei para mudar notas de alunos, pois entendi que o colega não estava convicto de a nota aplicada seja realmente dele. Percebi que faltavam lacunas no modo de avaliação do aluno e ainda uma argumentação infundada. Por exemplo, como um professor, ao justificar a nota do aluno em matemática diz que o aluno escreve “mal”? O professor de matemática não tem competência para avaliar isso e nem habilidade de verificar o que é escrever “mal”, assim não se torna um argumento construtivo e mantenedor, já que um recurso do aluno para reavaliar sua nota dada e trazer este argumento, qualquer juiz mostrará que você não é apto a avaliar. Por isso, pense!

Entendo que o conselho de Classe precisa reinar o bom sendo, pois precisamos ouvir o professor e entender qual foi à competência e habilidade passada no bimestre e o que foi feito para o aluno. Se o professor fez tudo que deveria e tem registro disso, o colega precisa respeitar. Caso contrário vote na mudança da nota, para que ao final, o professor não tenha problemas.

O conselho precisa de conhecimento para votar. É necessário que a escola mostre no planejamento sua visão naquele ano e que queira um caminho traçado por todos. Assim, fazendo o mesmo caminho, não tem como haver discussão na reunião.

Respeito ao colega e união é acima de tudo. Lembre-se que ele tem os mesmos conflitos que você. Lembre-se que ele tem o mesmo ideal que você. Então o respeite. Quando se tem respeito, se tem admiração. Isso comprova que a equipe está bem concisa e sabendo de seus objetivos.

O conselho serve para se ter um raio-X da escola e saber qual o panorama geral. Qual disciplina os alunos têm mais dificuldades e qual aluno caiu e avançou. É um ótimo cenário para se identificar confrontos avassaladores em crianças, como exemplo, abuso. Se o aluno é considerado bom e suas notas estão abaixo do básico, é um alerta para a escola investigar, ali será descoberto que ela passou ou está passando por traumas familiares ou não.

Outra coisa que se pode identificar no conselho, se o aluno está em confronto indireto com o professor daquela disciplina. Se o professor fez todas as anotações e o aluno só está com a nota baixa com ele, é hora de anotar e ir falar com ele particularmente, assim saberá o que realmente aconteceu.

Conselho de classe é mais um cenário produtivo para se colocar ou verificar se a escola está nos trilhos, seguindo o caminho que escolheu para chegar onde o aluno precisa: ao sucesso.

Leia outros artigos. Acompanhe nas redes sociais.

Assine o Clube e esteja à frente!

Anúncios

47 Comments

  1. Tenho uma dúvida, uma aluna minha precisa de 4 pontos para passar em minha matéria ela tirou uma nota bem baixa na prova, mas ela é uma boa aluna comportada,quase não falta só quando está doente e sempre faz trabalhos atividades tudo oque todos os professores pedem,oque faço?,no primeiro período ela tirou 5 no segundo 7 no terceiro 8 ,a média na escola é 6.

    1. Chame -a no canto e peça para fazer um trabalho. Acrescente a nota. Diga a ela q só está fazendo isso pq ela é uma boa aluna e vc a valoriza por isso!

    2. Sou uma aluna dedicada,sempre tiro notas altas e nunca fkei de recuperação,hj a supervisora me chamou na sala dela para me dizer sobre isso,mais eu n entendi oq é isso,ela me disse q se n fosse o conselho de classe eu teria reprovado,pode me explicar qual os direitos do aluno?obs: passei para o 7 ano

  2. Olá! No momento de votar entre a aprovação por conselho ou a reprovação, uma colega em cuja a disciplina a aluna foi aprovada por nota, votou pela reprovação. Eu disse que achava incoerente, e perguntei o motivo. Ela disse que estava ali para votar pelo conselho e não pela disciplina dela. Não entendi o argumento. Como você avalia este caso?

  3. Uma Duvida. Existe um Limite de Matérias que o Aluno pode ficar pra passar pelo conselho? Que nem na dependência que o limite São 3 pelo menos na minha escola, lembrando que a minha escola não reprova por faltas, e sim só pelas notas

    1. Depende do PPP, mas o certo é 4 dependência e na 5* há a reprovação. Quanto às faltas, caso o aluno atinja mais de 25% de ausência no seu total de horas aulas ou dias letivos, a reprovação tem de ser automática

      1. No Meu caso eu fiquei em 6 Matérias, aí por exemplo eu consigo recuperar 2 mas as outras 4 não, eu consigo passar pelo conselho?
        Obs:Nunca fiz bagunça em sala de aula sempre prestava atenção e fazia a maioria dos trabalhos que passavam

      2. Recuperar como? As aulas já acabaram. Você fazia a maioria dos trabalhos, não todos os trabalhos. Daí vai ficar a cargo dos professores. Pode ser que sim, mas a probabilidade é mais negativa. Vamos torcer!

  4. Sim, to dizendo Nas recuperações finais que eu acho que pelo excesso de matérias em recuperação eles podem não querer aprovar pelo conselho sabe, ainda não entendo muito sobre isso,primeira vez que acho que vou ter que passar pelo conselho dai não entendo muita coisa. Seja se deus Quiser.

  5. Bom dia. No caso de empate entre notas vermelhas e azuis, quem decide se o aluno fica retido ou não? Deverá ouvir todos do conselho ou o diretor que decide? Obrigada

      1. Sim, mas no caso de um aluno ter 8 disciplinas, sendo que quatro notas insatisfatório e quatro satisfatório, o conselho que se reuni (8 professores) e decidem se o aluno vai ser promovido ou não, correto?

  6. A coordenadora da minha escola disse que quando um aluno do sexto ano tiver 4 notas vermelhas e 4 notas azuis, o diretor que dá o voto de minerva, isto está correto? Existe alguma legislação para que o diretor dê esse voto de minerva?

    1. Em conselho, quem manda são os professores. Nem coordenador, nem diretor. Isso é na teoria. Na prática, há ainda professores q qndo o diretor fala, abaixa a cabeça p n dar confusão.

  7. Meu filho ficou em 6 recuperações, mas perdeu em uma e a direção da escola disse que ele não tem direito a participar do conselho de classe alegando que ele tirou uma nota inferior a 5, sendo que a média da escola é 6. A diretora me informou que ele terá que fazer dependência da matéria no ano seguinte. Essa diretora está correta ou não há limites de pontos a alcançar para que o aluno tenha direito a participar do conselho de classe?

    1. Aluno não tem direito de participar do conselho. Se ela deixa participar, deve ser alguma regra específica do projeto pedagógico.

  8. olá,boa tarde,sou terceiranista e estou indo pra recuperação final em uma matéria que preciso de muitos pontos ,sou uma aluna bem comportada ,porém tenho muitas responsabilidades pessoais,no entanto ,não tenho o devido tempo de estudar e mais nesta matéria que tenho dificuldade,será que se eu não conseguir alcançar esta nota vou pro conselho de classe ?Desde ja,fico grata !

    1. Sim. Vai para o conselho, caso o professor queira. Uma disciplina o professor pode escolher em levar ou já deixar em dependência.

      1. É que no ano anterior passei de ano com 23.2 ,e já ouvi falar que apenas com 24 pontos que o aluno passa,fiquei sem entender .

      2. Obrigada por responder ,é que as vezes tenho a impressão que os professores,coordenadores e afins,tentam meio que se esquivar dessas explicações,já perguntei a vários e muitos evitaram responder.

  9. Uma Duvida.Existe Um Limite de materias para o conselho?por exemplo o aluno ficou de recuperação em 13 materias mas conseguiu recuperar 10 e as outras 3 não, ele pode ser aprovado pelo conselho ou não pelo numero excessivo de materias em recuperação?

      1. Só sei que na dependencia o Maximo é de 3 mateiras, no conselho nunca falaram nada de limite de materias, mas quem sabe eles dão uma chance

  10. levando em consideração que o Aluno Nunca tomou advertência nem suspensão e rem participação, mas ele faltava algumas vezes só que a tal escola não reprova por faltas

  11. e tambem no conselho o aluno tem que assinar alguma coisa se for aprovado por ele? Me disseram que o Aluno tem que assinar o conselho ou algo assim

  12. Fiquei de recuperação em apenas duas matérias devendo um ponto em cada. Fiz todos os trabalhos propostos, passei nas outras matérias com notas acima da média, me comporto bem na sala e falto apenas quando posso justificar. A prova é daqui á dois dias e não consegui aprender o conteúdo de uma das matérias, é possível que, nessas condições, eu não passe no conselho?

  13. Ainda tenho dúvidas sobre conselho de classe na educação infantil, poderia esclarecer quais pontos abordar e como proceder, já que não há promoção ou reprovação.

  14. olá! No meu município nunca houve conselho de classe, este ano veio a proposta para as escolas criarem os conselhos de classe. Só que a minha duvida é porque eles querem que criemos conselhos por turma. Exemplo, se a escola tem 15 turmas, teremos 15 conselhos em uma única escola. isso procede?

  15. Em uma escola técnica de saúde pública,
    O aluno ficou de recuperação em 1 matéria de 9 no geral, foi pra conselho…O conselho reprova o aluno ?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s