OPINIÃO: PROFESSOR – NÓS NÃO SOMOS AMADOS

PROFESSOR – NÓS NÃO SOMOS AMADOS

 

Sei que você, professor, não está concordando com o título deste artigo, mas de forma geral estou afirmando que não somos amados. Estamos em uma sociedade em que a profissão PROFESSOR está sendo espancada, estrangulada e morta dia a dia seja por governantes, seja por pais e alunos. Parece um absurdo, mas é a realidade.

Sou professor também e estudo o direcionamento educacional dentro de uma sociedade. E o nosso direcionamento está sendo para a ruína. Se nada for feito de real, estamos fadados a ficarmos no meio do caminho.

Gostar de professor é realmente difícil e estamos no mesmo patamar de um policial, não há quem goste da gente. Você deve estar pensando que você tem alunos que gostem, mas lhe digo que não. Vejamos o motivo.

O aluno bom não gosta de você por dois motivos: Ou porque acha que você é superior a ele ou porque você cobra muito dele. Se tiver algum aluno que esteja na sua mente que mostre ao contrário que escrevi e você pense incansavelmente que ele gosta de você, não se iluda. Ele gosta da nota. Se ele é um aluno 10 e você colocar 8, ele, por trás, vai falar bastante sobre a sua avaliação, repetindo trilhões de vezes “ele é doido! Você acha, eu faço tudo, fui bem na prova e ele ME DEIXA com 8.”

Se o aluno bom não gosta de você, imagine o ruim. Ele tem mais motivos para não gostar de você. Entre esses motivos está o fato de você “pegar” no pé dele para desenvolver, ou como as coisas já ficaram estranhas com o tempo e você o deixar isolado, faz com que ele odeie mais e a nota vermelha só vem multiplicar a visão dele sobre você!

Tive alguns problemas com alunos durante minha carreira e estudei diversos tipos de alunos, assim eu poderia saber como “chegar” até ele e fazer com que vire meu parceiro no Ensino-aprendizagem. Criei táticas e estratégias para fazer com que o aluno venha e caminhe comigo. E confesso: tive muitos sucessos, mas os fracassos existiram.

Tenho em mim uma coisa: o professor precisa saber sobre o seu conteúdo, trazer curiosidades e mostrar coisas que não estão nos livros estudados. Assim os alunos começam a enxergar diferente você, sabendo que é conhecedor da sua área. Se contrário disso, a indisciplina crescerá a cada dia, pois o aluno entende que não aprenderá nada com você. Não terá bons comentários dos alunos “bons” e “ruins”.

Já tive diversos alunos em sala: do drogado ao gênio e tive mais problemas com alunos bons do que com alunos ruins. Antes de continuar, quero dizer que quando falo “aluno bom”, digo que ele se desenvolve no processo de ensino e o “aluno ruim”, não desenvolve. Tive problemas com alunos bons, porque eles queriam atenção exclusiva e a nossa função é atingir o aluno ruim, porque o bom vai sozinho. Precisa apenas de orientação.

Sou um professor ativo e observador, acho que precisamos dessas habilidades para conseguir atingir nossos objetivos com o aluno. Ativo no sentido de explicar, reexplicar e estar junto em diversos momentos escolares como reuniões e festas. Observador no sentido de saber o que está faltando para aquele aluno me identificar que estou ali para ajuda-lo e não para puni-lo.

Alunos não gostam da gente, mas nos respeitam. E é isso que peço aos alunos: RESPEITO. O respeito não é pedido apenas, é conquistado. E sabe como se conquista? Em primeiro lugar, verificar se o aluno está nervoso aquele dia, se estiver, quando andar pela sala, pare do lado dele e diga: “vá tomar um pouco de ar” – ele ficará confuso, mas sairá. Ele pensará nesta ação tão simples e chegará à conclusão de que você é “maneiro”.  Ele baixará a guarda para você e é hora de aproveitar e fazê-lo render.

Para o aluno, o professor sempre estará errado: Se ele tirar boa nota, dirá que APRENDEU, POR ISSO TIREI ESTA NOTA. Se ele tirar uma nota ruim, dirá que NÃO APRENDEU, PORQUE VOCÊ NÃO EXPLICA DIREITO OU QUE O SENHOR DEU A NOTA. São nestas ações que volto a firmar: O ALUNO NÃO GOSTA DO PROFESSOR, ELE RESPEITA, POR ALGUM MOTIVO, MAS RESPEITA.

Não é culpa dele. A sociedade não gosta do professor. Uma breve pesquisa sobre prefeitos do Brasil, eu identifiquei que menos de 10% dos políticos são professores. Isso não é por acaso, certo?

Para terminar, quero dizer que as agressões realizadas ao professor são absurdas e indesculpáveis, mas precisamos observar mais do que cobrar o aluno, assim evitamos ataques e brigas contra nós, já que mesmo sem fazer nada, somos atacados sempre!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Juntos por uma Educação de qualidade e uma boa Literatura

%d blogueiros gostam disto: